01/06/11

Por vezes converso contigo mentalmente


- Tu dóis-me...
Disse-lhe ela como se não dissesse nada, como se falasse do calor ou da chuva.
- Tu Dóis-me
Repetiu esta frase várias vezes como se não quisesse deixar margem para mal entendidos.
- Tu dóis-me como uma ferida para a qual não há pensos rápidos ou gaze suficientemente estanque.
Magoas-me a alma, o fundo de mim, uma zona que nunca partilhei contigo porque tive medo de ta mostrar.
Dóis-me e consomes-me em silêncios, meias frases e diálogos interrompidos pela auto-censura.

Quis perguntar-lhe se também o fazia doer, mas não o fez. A resposta poder-lhe-ia ser fatal!

Tu dóis-me!

5 comentários:

Corina de Oliveira disse...

A sério? 3 dias?! Bem, ainda bem que não comi, então :s é que pelo cheiro, aquilo não ia entrar, ai não ia não!

Margarida disse...

Há pessoas que deixam têm nós essa estranha reacção... a de provocar dor...

Shell disse...

Ohh fofinha :$ aiii * um beijinho

Um gajo qualquer... disse...

Gostei do pormenor da pergunta evitada... essa capacidade que por vezes temos de antecipar/evitar maior dor.

Que te deixe de doer o mais rapido possível!

Beijinho

Daniela Pereira disse...

As vezes... também o faço.