20/03/13

Pai

O meu pai não é o melhor do mundo, houve mesmo alturas em que julguei que ele talvez estivesse no ranking para o pior do mundo.
Esteve sempre demasiado ocupado para mim, sempre distante de tudo o que a mim dizia respeito.
Agora que penso nisso acredito que sempre o julguei com demasiada dureza, guardei-lhe ressentimentos pela vida que ele escolheu e que na qual nunca me incluiu.
Não é uma pessoa de sorriso fácil, tem o sentido de humor de uma pedra, não dá abraços por dá cá aquela palha, está sempre como que num pedestal do qual não se arrisca a descer por nada deste mundo. Por vezes julgo que ele pensa que se deixar de ser assim, se mudar as bases dos alicerces da nossa relação e dele mesmo perder-se-à pelo caminho.
Muitas vezes lhe liguei no dia do Pai, mais por obrigação que por outra coisa, sempre lhe fiz e dei prendas neste dia mas ele sabia que havia outra pessoa que também as recebia e essas sim eram dadas com o coração a transbordar de orgulho.
Ontem quando lhe liguei pareceu-me que tinha a voz embargada, mas não liguei, o meu Pai não é dado a mariquisses, só o vi chorar 2 vezes em toda a minha vida, a primeira quando morreu o Pai dele, a última quando morreu o meu avô.
Como já disse não liguei muito à voz embargada do outro lado, julguei que o teria apanhado em má altura mas ele não queria confessar isso.
Por volta das 22h o telefone tocou, era ele, julguei que algo tinha acontecido, e aconteceu. O meu cubo de gelo em forma de pai derreteu-se, a ele e a mim.
Do outro lado a mesma voz embargada dizia-me
"Sabes filha, quando me ligaste quis dizer-te algo e não consegui. Agradeço o beijinho do dia mas sabes... Houve outra pessoa a quem esse beijo devia ser dirigido, o teu avô, foi ele que fez o melhor trabalho, aquele que eu não soube fazer"
Foi assim, com 1m de conversa que o meu Pai, o meu pequeno cubo de gelo com pernas se derreteu, reconhecendo que não foi o melhor Pai do mundo mas que eu tive o MELHOR avô do mundo, que quando ele estava demasiado ocupado para ser Pai fez a vez dele.
Foi assim que ao fim destes anos todos de vida  posso dizer que tenho o maior dos orgulhos em ser filha dele, foi grande, foi mestre e soube o que dizer num dia em que inevitavelmente senti que me faltava uma parte.

Ao meu Pai, que não ganha o prémio de melhor do mundo mas tem o direito a uma menção honrosa neste espaço que ele não conhece mas que onde já tanto dele escrevi, nem sempre pelas melhores razões!



4 comentários:

trintona disse...

Pode não ser o melhor do mundo, mas ontem foi. E ao dizer-te essas palavras foi o pai que se calhar nunca foi.
Pode não vir a ser o pai que desejas e que de certezinha mereces, mas parece que a 1ª pedra foi derrubada e isso é tão bom...

cycle disse...

Gostava de pensar como tu, mas não sei o que sinto.

ana disse...

:') Às vezes a vida não é aquilo que merecemos e nesse aspecto a tua talvez não tenha sido. Não fazia mal nenhum acumular dois pais em vez de um hábil e de um cubo de gelo. Mas acredito que, com a força que tu tens, que demonstraste ter apesar de seres manca de pai, as recompensas irão chegar. E talvez esta tenha sido uma bem grande. E tu mereces tanto :)

Coquinhas disse...

Que textão...nunca consigo dizer muito mais que isto. Principalmente quando tenho um pai relativamente parecido ao teu :/