05/05/11

I wanna do filthy things to you





Eu tenho um fetiche, que alguns podem apelidar de estranho, por este homem...
Não acho que ele seja uma dádiva de Deus às mulheres, penso sim que ele é uma dádiva de Deus a todos os que gostam de ler.
Tem tatuagens e ainda por cima escreve bem, é meio caminho andado para andar a viajar nos meus pensamentos pecaminosos!!

Amor. Amor. Amor. Gostava de dizer esta palavra até gastá-la ainda mais. Amor, gostava de dizer esta palavra até perder ainda mais o seu sentido. Amor. Amor. Amor, até ser uma palavra que não significa sequer uma ilusão, uma mentira. Amor, amor, amor, nem sequer uma mentira, nem sequer um sentimento vago e incompreensível. Amor, amor, amor, até ser nem sequer uma palavra banal, nem sequer a palavra mais vulgar, nem sequer uma palavra.
Amoramoramor, até ao momento em que alguém diz amor e ninguém vira a cabeça para ouvir, alguém diz amor e ninguém ouve, alguém diz amor e não disse nada. Sozinho, diante da campa. O amor é a solidão. 
José Luís Peixoto - Uma casa na escuridão
  

3 comentários:

*Sininho* disse...

José Luís Peixoto... um homem que sabe usar as palavras como ele é um HOMEM!

Daniela Pereira disse...

eu também tenho uma coisa assim por um tal homem ainda menos atraente que esse, e esse mesmo assim nem é mau.

Ficção Que Vivemos disse...

Diz que ele hoje autografou um livro para ti, olha a tua sorte de teres amigos bem colocados =P