23/09/10

Deixei-o ir por amor


Sei que para alguns, quase todos, o que eu fiz não tem lógica, mas acreditem ou não, eu deixei-o ir por amor.
Porque amar alguém é querer que essa pessoa seja feliz e sabendo que ele será mais feliz sem mim abri mão dele.
A maioria das pessoas já me disse que eu ainda me vou arrepender amargamente de não o ter deixado ficar, eu prefiro acreditar que um dia vou ser madrinha de casamento dele, um casamento que vai nascer de um amor imenso que eu não lhe podia dar.
 Foi o facto de o ter libertado  antes que o pudesse estragar, que lhe vai permitir ser feliz. Eu sei disso melhor que ninguém.
Porque eu não o faria feliz, não a longo prazo, sou demasiado complexa, demasiado sentimentalmente inadaptada para ser aquilo que ele precisaria que eu fosse.
E assim se encerra o capítulo dele no livro das minhas memórias, com a convicção que ele vai perceber o porquê do meu Não, que vai entender que não o fiz por falta de amor, mas sim porque nunca me perdoaria se o magoasse.

3 comentários:

Crises da Idade disse...

Às vezes também gostava de conseguir fazer isso, deixar o meu amor ir...mas felizmente ou infelizmente não consigo. Secalhar é egoismo da minha parte.

Crises da Idade disse...

*egoista

a Gaja disse...

Se sabemos que não conseguiremos fazer a outra pessoa feliz nada melhor que a deixar ir...mas às vezes é tão difícil...