10/09/10

Vou-me embora


Por tua culpa, porque não me deixas gostar de ti, nem te deixas gostar de mim!

Eu sei, sei disso tão bem que me dói, uma dor física, dilacerante, mas que não tem ferida visível da qual possa tratar.
Sei que a culpa das tuas lágrimas é minha, sei também que nunca me vais perdoar.
Mas acima de tudo, sei que te vais embora porque sou demasiado cobarde para te amar, para me colocar em risco de ter o coração partido.
Como dizia ainda agora a A., estou tão fechada que não permito que ninguém entre, nem mesmo tu que já provaste que podias ser tudo aquilo que eu quero.